sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

M.A.S.S. - Revolution

Front
Banda: M.A.S.S.
Disco: Revolution
Ano: 2004
Gênero: Hard Rock
Faixas:
1. Testify (3:43)
2. Live A Little (3:02)
3. Get Ready (3:09)
4. Don't Wanna Wait Anymore (3:12)
5. Fake Talk (5:27)
6. Give Me A Break (3:03)
7. Revolution (2:43)
8. Deaf To Your Answers (4:46)
9. Hey Gravity (4:05)
10. Something Tells Me/Unbreakable (10:19)
Músicas de autoria da banda.
Créditos:
Justine Berry: Vocals
Andy Miller: Guitar, Vocals
Paul Hegland: Bass Guitar
Stuart MacMillan: Drums
Jonny Green: Guitar, Vocals
http://www.filefactory.com/file/5enx1b3eee6d/MASREVOL_rar

Biografia:
O texto de apresentação da banda, que segue, em versão livre do inglês, foi retirado da sua página no MySpace.
Assim como vem o momento em que toda lagarta deve tornar-se borboleta .. assim ..M.A.S.S. ..tocando nossos ..CONCERTOS FINAIS.. em ..MARÇO DE 2006, NA FRANÇA.. .. - foi uma aventura que para alguns (ver a nova banda da Justine ...HEY GRAVITY!...) vai continuar, e nós gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos que nos apoiaram, tanto aqui quanto nos espetáculos ao vivo ao longo dos últimos três anos ... para aqueles que não conhecem a história ........ .. .. a M.A.S.S... formada em Londres, lançando nosso primeiro single no verão de 2002... Nossa jornada musical foi "interessante", para dizer o mínimo... além do DJ ....John Peel...., que nos deu tanto apoio no início (sempre vamos sentir falta dele), o mundo da música no Reino Unido pode provocar calafrios numa garota liderando uma banda de rock originária do Reino Unido, por ser às vezes um clube do bolinha.. mas muito rapidamente nos encontramos sendo cortejados pela França. Começamos uma turnê por lá e passamos a viver ali, em Nantes, e na França assinamos o contrato de gravação do nosso primeiro disco ..'REVOLUTION' ..que saiu pela gravadora Barclay Records em ..junho de 2004... ........ ....a M.A.S.S. fez shows com .... The Libertines ...., ....The Dresden Dolls ...., ....Peaches...., ....Razorlight...., .. ..Bloc Party...., ....Hot Hot Heat.... e mais alguns de menor expressão. Chegar lá e tocar ao vivo foi muito importante para nós, que rodamos milhares de quilômetros, literalmente registrados, através do Reino Unido e Europa, espalhando a palavra M.A.S.S.

The Octopus - At Her Feet e Signal B [Vídeos]


The Octopus, a nova banda da Masha Marjieh, ex-vocalista da Deadstring Brothers, cuja discografia já foi postada aqui. Muito boa...



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Big Tasty - Feeding Frenzy

Front
Banda: Big Tasty
Disco: Feeding Frenzy
Ano: 2001
Gênero: Jam Bands
Faixas:
1. Destination (5:13)
2. Springtime (5:28)
3. Eyes (4:01)
4. Twisted Visions (3:51)
5. Five (4:30)
6. Jacknife (7:40)
7. Soul Beside (3:10)
8. Landslide (3:22)
9. On My Way (6:13)
10. All Good (6:23)
11. Touched By An Angel (3:23)
12. Plain To See (2:59)
13. Looney Bin (9:53)
Não se conseguiu descobrir a autoria das músicas.
Créditos:
Eric Delaney: Guitar, Vox
Marcus Shmid: Keyboards, Organ, Trumpet, Vox
Eric Hofmeister: Drums
Casey O’Brien: Bass, Vox
Zack Lozier: Trumpet
John Choi: Sax
Logo Design by FlamingText.com

Biografia:
Segue um pequeno retrato da Big Tasty, retirado da página da banda no MySpace, com tradução livre do inglês.
Banda 1Favorita de Minnesota, EUA, a Big Tasty, serviu porções consideráveis, de dar água na boca, de dançantes, deliciosos e atordoantes pratos de jam sessions. Formada em 1999, a Big Tasty satisfez, desde então, fãs sedentos de música com o seu som energético. Após o lançamento do disco produzido pela própria banda, "Feeding Frenzy", os rapazes da Big Tasty decidiram deixar as suas apresentações das quartas-feiras no lendário Cabooze, em Minneapolis, Minnesota, para viajarem constantemente. Com mais de 40 canções originais e uma lista crescente de excitantes covers, a Big Tasty esquadrinhou o país para agarrar novos fãs.
Banda 2
Com uma impressionante lista de endereços e uma equipe de publicidade bem azeitada, a BT continuou a cozinhar todos os ingredientes no caldeirão musical. Firmemente enraizada no rock de improviso, jazz e funk, Eric Delaney, Marcus Shmid, Graham O'Brien e Casey O'Brien produziram um som que era familiar, porém novo. A Pulse Magazine observou: esses mestres do funk psicodélico podem misturar jams da Tower Of Power com a sensível vibração da Grateful Dead. A banda tocou em todo o país e se apresentou com Widespread Panic, Leftover Salmon, Anders Osborne, Bela Fleck, Merl Saunders, Radiators, Dirty Dozen Brass Band, entre outros. Em 2003, a BT tocou no primeiro 10.000 Lakes Festival.

Tenente Cascavel - Medley [Vídeo]


Um pot-pourri da Tenente Casvavel, em show no Bar Opinião, em Porto Alegre. Cooooooooool...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Howl - Discografia básica

Banda: Howl
Gênero: Alternative Rock, Blues Rock, Hard Rock

 
Front
Disco: Higher Class Of Lush
Ano: 2007
Faixas:
1. Silver Equals Gold (Lund, Frøysnes) 3:35
2. Sad State Of Affairs (Lund) 3:41
3. Repeater (Lund, Frøysnes) 4:12
4. Hospital Gown (Lund) 4:25
5. Nineteenseventyfive (Lund, Frøysnes) 2:57
6. Telephone (Lund, Frøysnes) 3:10
7. Righteous Lisa (Lund, Frøysnes) 3:48
8. High Speed Chaser (Lund, Frøysnes) 4:08
9. Still A Choice (Lund, Frøysnes) 5:04
10. Tip Toes (Lund, Frøysnes) 2:50
Créditos:
Simen Lund: Vocals, Guitar (faixa 10)
Alexander Engebretsen: Bass
Kristian Syvertsen: Drums, Percussion, Backing Vocals
Lars Bendixby: Guitar (Lead), Guitar (Rhythm), Guitar (Pedal Steel), Mandolin
Knut Frøysnes: Guitar (Lead) Guitar (Rhythm), Saxophone, Backing Vocals
Espen Blystad: Keyboards
Peter Øiseth: Trumpet (faixa 8)
http://ow.ly/Wjbkw

Front
Disco: Cold Water Music
Ano: 2010
Faixas:
1. Urgency (3:54)
2. Misdemeanors (2:39)
3. Sobriety Hymn (4:15)
4. Controller (3:20)
5. High Hopes (3:55)
6. Song For K (2:55)
7. Weak Sense Of Rebellion (3:57)
8. To The Point (Where Nothing Hurts) (4:11)
9. Let The Choir Sing (4:57)
10. Dödskalle (3:10)
Músicas de autoria de Simen Lund, exceto "Sobriety Hymn", composta por Lund e Frøysnes.
Créditos:
Simen Lund: Vocals
Lars Bendixby: Guitar
Knut Frøysnes: Guitar
Kristian Syversen: Drums
Alex Engebretsen: Bass
Espen Blystad: Keyboards
Mattias Glavå: Synthesizer ("Song For K")
Fredrik Björling: Percussion ("Weak Sense Of Rebellion", "Let The Choir Sing")
http://ow.ly/Wjblu


Biografia:
O texto a seguir, traduzido livremente do inglês, que contém um pouco da história da norueguesa Howl, é uma resenha, de autor desconhecido, do disco "Cold Water Music', divulgada na página da banda no MySpace.
Banda 1A cena musical norueguesa é cheia de chorões. Todos ficam reclamando da falta de apoio às turnês, de espaços para ensaios, de coberturas das rádios e da imprensa. A filosofia DIY (nota minha: segundo a Wikipedia em português, a "DIY"é uma abreviação de Do It Yourself (do inglês faça você mesmo), que traduz um espirito empreendedor e anarquista que terá [sic] surgido com a cena punk underground") não é exatamente um passeio no parque, e é também por isso que se mostra tão libertadora quando alguém simplesmente aparece do nada e a aplica. Foi exatamente isso o que a Howl fez com o seu elogiado disco de estreia, "Higher Class Of Lush", de 2007, brilhantemente produzido por Frode Jacobsen, do grupo de rock norueguês Madrugada.
Banda 2Da vasta seleção de artistas noruegueses que lançaram álbuns autofinanciados, a canção "Repeater", da Howl, foi pinçada pela estação de rádio NRK P3, da Noruega, e colocada no topo da programação. Um ano depois a Howl já não era considerada apenas uma banda promissora, com potencial. O seu primeiro disco foi relançado pela EMI em 2008, e mais duas músicas entraram na programação top da rádio NRK P3. Até o final de 2008, a Howl foi o artista mais tocado na rádio, acima inclusive de nomes mais conhecidos internacionalmente. Como finalista do concurso nacional "Urørt", para artistas sem gravadora (nota minha: a afirmação soa estranha; afinal, a banda não tinha sido contratada pela EMI?), com uma grande repercussão de sua explosiva performance ao vivo no maior festival/conferência de música da Escandinávia, o "by:Larm", e com várias apresentações nos festivais mais importantes do país, a Howl foi lentamente se firmando na zona de cima das bandas de rock norueguesas.
Banda 3Na primavera de 2009, a How entrou no Kungstenstudios, em Gothenburg, Suécia, para gravar o segundo disco, "Cold Water Music", e felizmente o resultado é um trabalho feito sem modismos, preservando a sua fórmula. Isso soa majestoso: rock puro realizado por um sexteto com suas referências definidas.
A Howl tem influências de vários e respeitados nomes da história do rock e da música pop. Springsteen, Big Star, Cheap Trick, T-Rex, Iggy Pop dos anos 70 e o pop barulhento da primeira metade da década de noventa (Posies, Teenage Fanclub, Urge Overkill). A lista de referências é, basicamente, infinita, e por trás dela, a voz rouca e soul do cantor Simen Lund quase cria uma síntese entre o Springsteen da era "Born To Run" e a Reigning Sound de Greg Cartwright.
Banda 4
Você provavelmente já ouviu o single "Misdemeanors" – dirigindo perigosamente com ânsia de viver –, que está atualmente na lista da NRK P3, e o álbum "Cold Water Music" ainda está cheio até a borda com mais tesouros.
Desta vez não será um ano em que se terá que esperar que o povo preste atenção à Howl.
Desta vez as pessoas sabem o que está vindo.
Desta vez a Noruega está pronta para uma banda que não perde um minuto do seu tempo com tendências, moda e o mundo fashion. Uma banda que está concentrada apenas em tocar o tipo de rock que eles próprios teriam adicionado a sua coleção de discos.
Agradeço a Deus por isso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...